Archive for Abril 2012





Do século XVII ao século XVIII toda a Europa manifesta-se um movimento chamado ILUMINISMO. 

Este movimento culminou em diversas trasnsformações no modo de pensar da sociedade, sobretudo burguesa, contrapondo o período que chamavam de "trevas" ou obscurantismo. 

"Primo" do Renascimento, o iluminismo promoveu um debate contundente sobre razão e ciência. 

Como consequência, ocorreram progressos no campo da ciência (Lei da gravidade de Isaac Newton) e também a classificação dos seres vivos. 

Mas em relação ao pensamento filosófico, influenciou a elaboração de teorias que influenciaram a Revolução Francesa (1789), a Independência dos EUA (1775-1783) e Inconfidência Mineira (1789).

Todos estes movimentos, de caráter burguês, já que a maioria da população ainda era analfabeta e apenas uma minoria tinha acesso ao meio intelectual de difusão destas teorias, culminaram na disseminação do liberalismo como doutrina primeira do Sistema capitalista. 


Em 21 de abril de 1789, Tiradentes foi enforcado, esquartejado e exposto em Praça Pública, como exemplo para que quaisquer manifestações contrárias  à ordem imposta, teria o mesmo fim. 

Mas a Inconfidência Mineira, apesar de elitista e burguesa, foi um dos principais fatores que influenciaram na consolidação da liberdade política de nosso país. 

E deve ser lembrada com todo respeito. 

Prof. Márcia.

link para pesquisa:

Conjuração Mineira




Inconfidência Mineira - 21 de abril

Comments : 0
Posted: sábado, 21 de abril de 2012
hora de refletir:




Os indígenas foram tratados por anos e anos, por historiadores e livros didáticos, como os coitadinhos, os povos que foram massacrados sem resistência alguma. Isto não é verdade. 

Os índios lutaram com todas as suas forças, com todas as suas armas. Lutaram contra uma invasão de povos que os subestimaram, os trataram como seres inferiores. 

O  processo chamado de "aculturação" tenta nos fazer acreditar qua a cultura indígena foi substituída ao longo dos anos, pela cultura ocidental. Outra inverdade. 

Sabemos que nossa cultura é híbrida ou seja, resulta da mistura de várias outras culturas ocidentais, asiáticas, africanas... e sobretudo indígena. 

Nosso conhecimento, nossa cultura, nossas músicas, nossas idéias sobre Deus, sobre universo, sobre natureza, é uma mistura de culturas, de crenças... 

Isso significa que não temos identidade própria? Temos sim. Mas não uma identidade comum. Nossa identidade é peculiar, diferente. Não melhor que a dos outros povos, mas muito mais diversificada, muito mais rica. 

E em grande parte devemos aos povos indígenas, que nos ensinou a temer a natureza e respeitá-la. Por mais que a destruam, por mais que a explorem, temos o temor que nos faz voltar atrás... e refletir sobre nossos atos. 

Devemos reconhecer a influência destes povos em nossa cultura. Devemos respeitá-los. Devemos continuar aprendendo com eles. 

Indios do Brasil, vocês fazem parte do que há de melhor nesta terra!!!!

Prof. Márcia.

DIA DO ÍNDIO - à todos os alunos do colégio Cramer

Comments : 0
Posted: quinta-feira, 19 de abril de 2012
DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO EM DISCUSSÃO:


“A nova tecnologia é a arte circense de inventar necessidades desnecessárias que se tornam absolutamente imprescindíveis” 
                         Juliano Bastide, sociólogo

dicionário: circense: espetáculo
                  imprescindível: indispensável



As tecnologias hoje é que determinam nossa necessidade.

Já perceberam como ocorreu uma inversão ? Antes, o homem evoluía por necessidade de encontrar meios de facilitar a sua vida. Estudamos sobre a descoberta do fogo, a invenção de armas, a construção de casas de madeira, pedra, argila. Também vimos que à medida em que encontravam alguma dificuldade, buscavam novas formas de resolvê-las com inventos dos mais variados...

Mas e hoje? Será que é a necessidade que nos impulsiona a adquirir vários produtos que possam resolver nossos problemas? Pense em sua casa. Quantos aparelhos domésticos são "necessários" para o bom andamento dos "serviços" domésticos? E a diversão? O que você precisa para se divertir? Até pouco tempo, uma bola de gude, uma corda, uma bicicleta... eram suficientes... AMIGOS eram suficientes! 


Vamos refletir o momento em que estamos atravessando, na evolução humana... 

será que nossos valores, nossos conceitos, nossas relações sociais, enfim, tudo está baseado e dependente da evolução tecnológica? 

Não era para ser o inverso?

A partir de agora, você aluno, deverá postar sua opinião e debater com seus colegas, opiniões diferentes das suas. 

Boa sorte!

valor: 3 pontos. 

Prof. Márcia. 

DEBATE PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO - 6º ANO

Comments : 14
Posted: segunda-feira, 16 de abril de 2012
O PROGRESSO EM DISCUSSÃO...

O progresso significa sobretudo desenvolvimento.

Estudamos que durante a baixa Idade Média, o ressurgimento do comércio promoveu uma verdadeira Revolução. Transformaram-se desde a organização do espaço geográfico (surgimento de cidades ou burgos) até as relações sociais entre senhores feudais e vassalos. De um acordo de  fidelidade, passaram a relacionar-se por valores, trocando impostos que antes eram pagos com trabalho (corvéia ou talha)  para serem pagos por dinheiro, em virtude do aumento da circulação de moedas.

Vimos também que surgiu até mesmo uma nova classe, a burguesa. Esta classe surgiu como conseqüência de um processo de busca por melhores condições de vida e também como alternativa para o desenvolvimento de uma economia essencialmente agrária, limitada ao subsídio (sustento)  de todas as camadas da sociedade.

Mas junto com o desenvolvimento, o qual alcançou seu ápice no século XIII, vieram também as tragédias, as catástrofes naturais... chuvas torrenciais, outrora secas intermináveis... talvez conseqüência do grande desmatamento que os europeus promoveram, em busca de terras cultiváveis.

Da Idade Média, passemos para a  Moderna... onde o Estado Absoluto, criado através de acordos entre burgueses e monarcas, concentrou poderes o suficiente para legalizar suas idéias e empreendimentos, onde o desenvolvimento ou o progresso, era a base de sustentação. A padronização da moeda, bem como leis que favorecem o mercado externo e interno  para esta classe, só poderiam se firmar através de um poder absoluto. 



Deste poder, cresceram-se os exércitos, que de mercenários, passaram a fazer parte do Estado como uma Instituição  e como tal, devendo-lhe toda a dedicação e comprometimento sob a égide do nacionalismo, recém nascido e  tão aclamado.

Na era contemporânea, chegamos ao progresso como uma realidade mais contundente que nunca. Revolução Francesa, com aspirações de “igualdade, liberdade e fraternidade”, clamavam por uma nova ordem, onde o ser livre pudesse empreender e viver este progresso. Revolução burguesa, que contou com a participação coadjuvante do povo, mas tendo como ator principal a classe do progresso, da individualidade, da propriedade privada, do empreendedorismo...

E aí a Revolução Industrial... um “giro completo”, uma “sublevação”, ao passo  que transformou toda a ordem política, econômica, social 
e ideológica.  Revolução que retrata exatamente a essência do progresso... a busca por desenvolvimento. 

Fez surgir novas relações sociais, de trabalho...novas ideologias, que nem tão novas, mas no contexto, conseguiram se expressar e alcançar visibilidade coletiva... já que agora, as conseqüências da  busca pelo progresso e desenvolvimento atingiram em cheio a população mundial através da corrida armamentista e por  mercado consumidor... culminando nas duas grandes Guerras, envolvendo nações imperialistas e super desenvolvidas... 

Saldo? Milhões de mortos... famintos... sem dignidade... desrespeitados em seus direitos básicos.

Além disto, divisão do mundo em duas zonas de influência as quais, ditaram regras por mais de 40 anos para o  mundo inteiro... 


Diante deste “breve” relato, vamos pensar no desenvolvimento e suas conseqüências no mundo hoje... globalizado, multicivilizado, híbrido...onde o homem deixou de ser protagonista de suas próprias ações e num paradoxo, vive à mercê das conseqüências de seus empreendimentos.

Eis as questões: Será que o homem já alcançou desenvolvimento ou progresso suficiente? Será que ainda há o que buscar, o que almejar?

Será que  não deveríamos agora percorrer o caminho inverso, não em relação a desenvolvimento, mas em relação a valores, a conceitos que foram transformados junto com revoluções mas que promoveram o desgaste das relações humanas, o desgaste da natureza?

Escolhi uma questão que está em foco hoje no Brasil e que atinge diretamente questões como sustentabilidade, progresso, empreendedorismo, etc.

A construção da USINA DE BELO MONTE.

Você deverá pesquisar nos links abaixo ou em sites de sua escolha, sobre os prós e os contras da CONSTRUÇÃO DA USINA DE BELO MONTE.

Deverá postar sua opinião a respeito e também debater com seus colegas as opiniões contrárias, demonstrando os fundamentos que o  levaram a adotar tal postura.

Inicia-se o debate com a questão: A construção da USINA é benéfico ou não para a população daquele Estado, considerando índios e populações ribeirinhas.


Iniciem-se os argumentos...e boa sorte!

Valor: 3 pontos 

Prof. Márcia. 

links para pesquisa:

vídeo:






DEBATE PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO...7º, 9º e 1º ano.

Comments : 90
>
<

Quem sou eu

Minha foto
Instituição de Ensino da rede privada em Santa Luzia/MG, em conexão com a Rede Pitágoras.
Tecnologia do Blogger.
Loading...

Seguidores

Postagens populares

- Copyright © 2013 COLÉGIO CRAMER - DJogzs - Powered by Blogger - Designed by Fêh-Chan -